Neto fala de sua recuperação, carreira e retorno às quadras. Confira entrevista completa com o jogador.

por Rafael Miguel

   Seria apenas mais um dia comum de treino para o fixo Neto, no Kayrat Amaty do Casaquistão, mas então veio o susto. Neto passou mal, teve confusões e realizou exames que detectaram um tumor no cérebro do atleta.

Quase seis meses depois, Neto lutou contra a doença com a mesma garra que tem em quadra e já está em fase final de recuperação. Vivendo com sua família, em Uberlândia, o fixo não tem dúvidas em afirmar ”Se quisesse já jogaria hoje!”.

Dovenir Domingues Neto tem 35 anos, no Brasil atou em clubes como Atlético, Ulbra e Corinthians, além de ter jogado em equipes de Espanha, Croácia e Cazaquistão. Foi o autor do gol da vitória do título mundial da Seleção Brasileira em 2012, temporada em que foi eleito o melhor jogador do mundo.

Em contato com a reportagem da FMFS, direto de Uberlândia, Neto fala sobre sua recuperação, sua carreira, o possível acerto com o Praia Clube e muito mais. Confira a entrevista!

 

FMFS – Como se sente no momento e como está o seu processo de recuperação?

Neto – Está tudo indo muito bem, graças a Deus. Tudo indo da melhor maneira possível, a cada dia são noticias melhores. Eu tenho certeza e fé que em meu próximo exame estarei curado. Cada dia me sinto melhor, cada vez mais feliz e só agradeço a Deus por tudo isso que estou passando e que está me fazendo uma pessoa melhor.

 

FMFS – Fisicamente, você já está treinamento? Em qual estágio você está para poder voltar a jogar?

Neto – Estou muito bem! Eu venho jogando a minha bola aqui em Uberlândia e treino com o meu personal, não tenho nenhuma restrição para realizar atividades. Se eu pudesse e quisesse jogar hoje eu já estaria preparado. Vamos ver como as coisas se encaminham tudo será decidido junto com a minha família, mas se eu quisesse, hoje eu já poderia jogar.

 

FMFS – O Praia Clube anunciou o retorno de sua equipe profissional nesta temporada e você é cotado para ser o grande nome da equipe no Campeonato Mineiro. O que você pode comentar sobre as negociações e o que falta para a confirmação?

Neto – Estamos conversando. Na verdade tivemos uma conversa inicial com o Praia Clube, faltam alguns detalhes. Vamos ver como vai se encaminhar. É o que eu falo, sempre quis jogar em Uberlândia, vamos ver como será daqui pra frente, mas essa confirmação logo logo vocês terão.

Foto: Neto comemora seu gol diante da Espanha na final do Mundial de 2012. (reprodução)

FMFS – Você só atuou em Uberlândia nas categorias de base. Após rodar por vários clubes, ser campeão mundial e eleito o melhor jogador do mundo você pode enfim jogar em sua cidade. Como é a sensação de poder atuar em casa?

Neto – Meu sonho era poder jogar em minha cidade um dia. Então é uma sensação muito boa, é muito bom saber que o Praia Clube voltou a ter essa intenção de retomar esse projeto futsal, de ter um time na Liga Nacional, mas tudo passa pelo Mineiro desse ano. Então é esperar, vamos ver as coisas se definirem e se tudo acontecer da melhor maneira possível vai ser uma prazer representar minha cidade, lugar que eu tanto amo e com certeza será muito bom voltar ao clube em que eu comecei tudo.

 

FMFS – Aos 35 anos, quais são seus planos no futsal daqui pra frente?

Neto – Eu ainda estou em um processo onde eu penso mais em mim, poder me tratar, poder me cuidar, estar 100% curado. Então os meus planos no Futsal ficaram um pouco de lado. Mas eu nunca deixo de vivenciar isso, de sonhar com o retorno, então é o que eu penso. Quero voltar, como eu disse, tudo vai ser decidido com a minha família. Mas o meu plano com o Futsal, se eu realmente voltar, é conquistar títulos, voltar a brigar por competições, que esse sempre foi o meu DNA. Quando eu voltar o principal plano vai ser o próximo campeonato e assim seja.

 

FMFS – Você já pensa em quando vai pendurar as chuteiras?

Neto – Daqui a pouco eu vou completar 36 anos, mas aposentadoria é uma coisa que eu ainda não penso não. Somente no momento certo em que eu ver que a carreira já passou por um estágio que já preciso parar de jogar, aí eu vou pensar e tomar essa decisão.

 

FMFS – Olhando para a sua carreira e todas as suas conquistas, como você avalia tudo que você fez no futsal?

Neto – Graças a Deus eu tive a felicidade de conquistar muitos títulos. Não só aqui no Brasil, como fora também, então eu só tenho a agradecer tudo que o Futsal me deu e me proporcionou durante todos esses anos. Eu acredito que alguma coisa boa eu tenha deixado no Futsal. Nem que seja pelo meu espírito, de um cara que sempre batalhou pelo o que quis, que sempre lutou de uma forma muito maluca, sempre gostei de treinar muito, de jogar muito.
Então se eu for pensar numa coisa que eu fiz pelo futsal, sempre vou pensar nessa mensagem. De um cara guerreiro, que nunca desistiu de nada e sempre batalhou pelo o que quis. Os títulos vão, as lembranças ficam, mas esse espírito é o que mais vale e eu espero que eu tenha deixado para todos os companheiros de clube que eu tive e quem sabe deixar esse espírito guerreiro pra essa geração nova que tem pela frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *